...e depois, com bigodes de leite, pedem mais paciência e esforço ao povo, que a "vaca 'tá seca".

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

O MONSTRO DA BOLACHA



IT´S THE ECONOMY, STUPID, foi o chavão usado por Clinton em 1992 para apear Bush pai da presidência dos EE.UU.
Dá vontade de repeti-la agora. Passos, o (aprendiz de) Chicago Boy de Massamá, deve conhecê-la, pelo menos a desatenção à economia foi o motivo pelo qual chumbou o PEC IV - lá vai o tempo em que pedia desculpa por condordar em aumentar impostos...

É um governo bipolar: por um lado, vai em cortar no Estado - não na gordura e consumos intermédios, mas na saúde, educação, comparticipações em medicamentos, prestações sociais e salários; por outro lado, qual insaciável monstro das bolachas, vai aumentando os impostos, reduzindo deduções fiscais (à BE) e alterando os escalões de IVA dos produtos, aumentando a luz, os transportes e as taxas moderadoras - onde puder pôr a mão, o limite é a imaginação.
É uma questão de semântica: uma coisa é o Estado sair da economia, outra é abandoná-la, esvaziando-lhe primeiro os bolsos.

Futurologia: depois de repetir a receita de Sócrates, mas em dose cavalar (a culpa é certamente minha, mas porquê apertar o garrote em dobro do que assinou com a troika, apenas cautela e caldos de galinha?), o dinheiro para de circular, e receita fiscal escangalha-se e, prá páscoa, são necessárias novas medidas.

P.s.: enerva-me o discurso do "temos que fazer sacrifícios". Não, para uns é dramático, para outros há sacrifícios, para Passos, Gaspar & associados será um incómodo. Mais uma vez, semântica.

1 comentário:

  1. Meu caro, a fonte secou! E como é natural, andam todos preocupados em saber como vão continuar a lavar os tachos para estarem bem limpinhos e ninguém dar por ela, ou melhor, por eles (os tachos) enquanto que o povo precisa da água para sobreviver. E pior, a água vinha de trocas intracomunitárias, nem era nacional. Será que fizeram aviso prévio?

    ResponderEliminar